Resenha: O Teorema Katherine

Nome original do livro: An Abundance of Katherines

Gênero: Romance adolescente

Autor (a): John Green

Editora: Intrínseca


tk

Acho que provavelmente todos vocês já leram algum romance do John Green e se encantaram. Se eu estiver errada, vá imediatamente na livraria mais próxima de você e compre! Qualquer um! Eu dou minha garantia de que são todos apaixonantes.

  O primeiro livro desse cara, o qual eu considero como um gênio, que eu li foi nada mais nada menos que: A Culpa é das Estrelas. Então na medida que ia passando por cada página, cada capítulo, eu fiquei encantadíssima com a forma que esse homem relata a vida dos seus personagens, de uma forma fácil de entender… é um modo tão real e me pergunto como, de onde ele consegue tirar tantas coisas da vida cotidiana dos adolescentes, como ele consegue compreender… pois nós adolescentes não somos fáceis de entender. O livro acaba se tornando o seu melhor amigo pela forma que relata essa fase da nossa vida. É inexplicável! Eu sou APAIXONADA pelas obras desse cara.

  Sempre fico meia insegura na compra de um livro… tenho muito medo de me decepcionar com a história. Como tenho muita curiosidade em ler tudo o que está relacionado a John Green, eu fiquei pelo menos uns três meses decidindo se comprava esse livro ou não.

  
O que resolvi fazer…

  Saí por aí perguntando a todo mundo, que eu sabia que o tinha lido, o que tinham achado da historia. Resultado: todas, TODAS as pessoas as quais perguntei me falaram que era um livro chato, cansativo, com muita matemática e não acabou por aí… Acabei colocando na cabeça que ele era realmente chato.

  Daí então, ao ler mais algumas obras do autor, eu decidir que ia ler esse tão condenado livro e ia tirar minhas próprias conclusões sobre ele. 

  Ao saber que eu queria ler O Teorema Katherine, meu querido amigo, Gabriel me deu de presente de aniversário! E confesso, não teria melhor presente para me dar, porque eu simplesmente AMEI esse livro! (Me chamem de louca, mas é a verdade).

  Então vamos lá ao que interessa…

 “Quando se trata de garotas (e, no caso de Colin, quase sempre se tratava), todo mundo tem seu tipo. O de Colin Singleton não é físico, mas linguístico: ele gosta de Katherines. E não Katies, nem Kats, nem Kitties, nem Cathys, nem Rynns, nem Trinas, nem Keys, nem Kates, nem – Deus o livre – Catherines. K-A-T-H-E-R-I-N-E.  Já teve dezenove namoradas. Todas chamadas Katherine. E todas elas – cada uma, individualmente falando – terminaram com ele.”

Bom… Colin Singleton é um garoto de 17 anos, prodígio, fã de anagramas e que acabou de levar seu 19º pé na bunda de mais uma Katherine. Para não correr o risco do amigo ficar em casa, esperando que a tal garota ligue e nem correr o risco de ele ligar pra ela, Hassan, o melhor amigo de Colin, decide meter o pé na estrada com o amigo. Eles pegam o Rabecão de Satã e partem juntos para essa aventura.

  Eles acabam atraídos por uma pequena cidade no Tennessee e lá, conhecem a Lindsay, uma garota caípira que só namorou um cara da vida e esse cara se chama Colin (OOC).

 Essa aventura você vai conhecer/viver apenas lendo esse livro incrível. É uma história bastante divertida, humorística, narrada de uma maneira levíssima. Pode ficar tranquilo que não é triste como os livros de John Green costumam ser… (quem já leu “A Culpa é das Estrelas” e “Quem é Você, Alasca?” sabe do que eu estou falando) e você vai se apegar bastante aos personagens. 

  Eu considero esse livro como um desafio. Não curto muito a matemática, mas nele, eu quis parar, analisar e pensar na forma como Colin construía seus gráficos. É bastante interessante e você fica se perguntando: UAU! De onde veio isso?? Como ele pensa assim??

  Cada personagem tem características marcantes, você com certeza vai desejar em algum momento que tal personagem crie vida própria e vire seu melhor amigo. 

  Gente… é bastante difícil falar sobre esse livro, então incentivo vocês a comprarem/pedir emprestado, pois eu realmente achei que valeu a pena essa leitura. 

 É uma história contada pelo ponto de vista de Colin, contém muitos roda pés, o que achei interessante para entendermos de fato o que estava sendo falado pelos personagens, há também muitas gírias das quais você vai se viciar e vai acabar falando elas na vida real (aconteceu isso comigo).

  O que falar da capa? MARAVILHOSA! Linda. É uma das capas mais lindas que tenho na minha estante. É simples, mas é a simplicidade que faz uma capa bonita.


Gente, perdão pelo tempo que passei sem postar aqui, eu estou em época de prova no colégio, inclusive eu deveria estar estudando agora, mas resolvi tirar um tempinho pra vir atualizar o blog. Peço que deixem comentários falando o que estão achando e qual livro vocês querem que eu resenhe, ou uma tag, o que for… Deixem nos comentários.

Por: Maria Fernanda

Anúncios

Resenha: O Maravilhoso Agora

Nome original do livro: The Espectacular Now

Gênero: Ficção Americana

Autor (a): Tim Tharp

Editora: Record


oma  Sutter Keely, conhecido como Sutterman, o rei das festas, é um adolescente de 17 anos que está em seu último ano do colégio. Mora com sua mãe e o padrasto, seu pai foi embora e os deixou quando ele tinha 9 anos e sua irmã mais velha já é casada e vive no seu próprio lar. Seria muito estranho se você encontrasse com o Sutterman e ele não estivesse acompanhado de uma garrafinha de 7Up acompanhado de uísque. Juro que acho que esse garoto é um alcoólatra, apesar disso não ser mencionado no livro.

Sutter nunca foi um garoto de se comprometer totalmente em um relacionamento. Ele é o tipo de cara que nenhuma garota em sã consciência iria querer namorar. Mas Cassidy, sua atual namorada, é a garota que tem o seu coração. Um certo dia, após ter dado milhões de sermões no namorado, Cassidy flagra Sutter conversando e abraçado com uma garota chamada Tara, que é amiga da nova namorada que Sutter arrumou para seu melhor amigo, o Ricky. E então decide acabar o namoro, pois já não aguentava a falta de responsabilidade do namorado no relacionamento.

Quando levou o pé na bunda da amada Cassidy, Sutter, como todos os outros caras geralmente fazem depois de um fora, saiu para beber e acordou no quintal de uma casa às 6:00 da manhã sendo chamado por Aimee, uma garota doce, nerd e cheia de sonhos que estuda na sua escola que estava no trajeto da sua entrega de jornais matinal. Aimee não é muito bem tratada por sua família nem por sua melhor amiga e percebendo isso, Sutter decidiu ajudar essa garota a ser alguém mais segura de si e com mais atitude.

A medida que a amizade dos dois foi crescendo, Aimee terminou se apaixonando e os dois passaram a ser mais do que amigos. Mas Sutter, mesmo sendo um cara que já teve muitas namoradas, é um cara que não se interessa em pensar no futuro, ele só quer viver o seu Maravilhoso Agora. Aimee por outro lado, é uma menina, que como já disse, é cheia de sonhos e tem planos para ir estudar em uma faculdade na cidade em que sua irmã mora e Sutter é a pessoa que mais a apóia, já que a família não dá o apoio que ela precisa. Só que tem um problema para o grande Sutterman: Aimee quer que ele se mude com ela para que eles possam morar juntos em um apartamento que a irmã já garantiu que ia arrumar para os dois.

Bem… O resultado dessa grande ideia de Aimee você vai saber lendo o livro que eu achei tão maravilhoso. Faz jus ao nome, hehe!

É uma historia narrada pela 1ª pessoa contando o ponto de vista de Sutter. Alguns dos pontos destacados na história é o questionamento do “padrão” que a sociedade cria do que é bonito e a relação familiar.

Eu adorei conhecer a historia do Sutter Keely, apesar de ter um pouco de raiva dele em determinados momentos… Acho que Aimee tinha tudo pra ser uma garota da qual eu ia ficar na torcida pra ficar com Sutter e ver se dava um jeito nele. Mas ele foi quem deu um jeito nela e ela acabou indo meio que sendo influênciada a ir pro caminho dele. Mas isso não faz da história ruim. Recomendo bastante, tenho certeza de que você vai adorar acompanhar esse jovem em busca do seu Maravilhoso Agora.

Por: Maria Fernanda

Resenha: Se eu ficar

 Nome original: If I Stay

Gênero: Romance/Drama

Autor (a): Gayle Forman

Editora: Novo Conceito


SEF

Se eu ficar é o livro mais apaixonante que já li, e relata uma história em que a personagem principal: Mia, uma adolescente super na dela que toca violoncelo, sofre um acidente com sua família, ela observa seu corpo ser retirado dos destroços, ainda conseguindo ouvir a música, e vê que seus pais estão mortos, mas ela não consegue encontrar seu irmão pequeno, Teddy.
Mia fica em coma, em estado de vida ou morte, e cabe a ela decidir se ela quer ficar ou não. Ao longo da história, ela vai lembrando de acontecimentos da sua vida, onde conta sua história amorosa com Adam, um menino super descolado que toca numa banda chamada Shooting Star, ao mesmo tempo que se relata o que está acontecendo quando ela está na UTI.

Em muitos momentos várias pessoas ficam no hospital, como seus avós, sua melhor amiga Kim, e Adam, aquele que está em choque, que tenta invadir a UTI, aquele que é apaixonado por ela.
Um dos momentos mais marcantes é quando ela descobre que seu irmão também morreu, e ela começa a desistir de ficar, ela fica fraca e quer morrer. Mas quando Adam vai na UTI e pede pra ela ficar ela não resiste e junta todas as suas forças para apertar a mão dele.
O livro nos leva a inúmeras reflexões, entre elas, a importância da nossa família e dos nossos amigos. A descoberta do amor de verdade, e a mais importante de todas: o valor que damos a nossa vida e o quão longe estaríamos dispostos a lutar por ela.

Beijos!

Por: •Emília .

Resenha: Eleanor & Park

Nome do Livro: Eleanor & Park

Gênero: Romance

Autor (a): Rainbow Rowell

Editora: Novo Século


ep31

 Eleanor & Park relata um romance de adolescentes, vivenciado pelos protagonistas dos quais o próprio título do livro já cita: Eleanor e Park.

A história é contada por uma 3ª pessoa e narra detalhadamente a vida de ambos os personagens em todos os capítulos.

Eleanor é uma garota, que como todas as adolescentes, tem seus problemas pessoais. Mas os de Eleanor são um pouco mais delicados. Com seus pais separados, ambos casados novamente, Eleanor vive com sua mãe, seus 3 irmãos mais novos e seu detestável padrasto, o Richie.

Há um ano ela foi expulsa de sua própria casa pelo novo marido da sua mãe, simplesmente porque ele não a suportava. Você deve está pesando: “Ah, mas a mãe dela não fez nada para impedir que isso acontecesse?” Pois é! Sua mãe não podia interferir de nenhuma maneira nas decisões de Richie, pois ele é do tipo de cara que não aceita ser contrariado, caso isso aconteça, ele reage de uma maneira que nenhuma pessoa queria ver.

Eleanor viveu 1 ano fora de casa e passado esse tempo, Richie resolveu deixá-la voltar para casa, um lugar pequeno, onde dividia o quarto com seus 3 irmãos, o banheiro era literalmente na cozinha, apenas com uma cortina separando a privada da geladeira.

A história se inicia no ônibus responsável pelo trajeto de alguns alunos à nova escola de Eleanor. Assim que Eleanor entra no ônibus, todos dão logo de cara com sua forte personalidade demonstrada logo em seu jeito de vestir não muito feminino e seu jeito intrigante de ser. Eu confesso que não gostei muito da Eleanor, acredito que você não irá gostar muito dela logo de cara, mas quem sabe ao desenrolar da história…

Park é o único no ônibus que mais por instinto do que preferencia, abre um espaço ao seu lado para que Eleanor possa sentar. Ele é um garoto mais atraente e de uma classe social superior a de Eleanor, apesar de morarem no mesmo bairro.

No início do livro, a parte mais excitante é no ônibus na ida para escola e na volta para casa. Eleanor sentava ao lado de Park mas os dois nunca chegaram a conversar, apenas liam a um gibi que Park passara a levar para se distrair no caminho da escola.

Certo dia ele notou o quão Eleanor estava empolgada na leitura, e passou a emprestar pilhas de gibis para que ela levasse para casa e lesse o quanto quiser.

A partir daí, foram construindo uma amizade e logo os dois já estavam apaixonados um pelo outro.

É um história bastante interessante que conquista aos poucos o leitor. Não achei muito cativante, foi o livro que mais demorei para terminar, mas vale a pena! Super recomendo para aqueles que querem uma leitura mais suave, simples e apaixonante ao mesmo tempo.

Minha crítica negativa é em relação a narrativa, pois prefiro o narrador personagem.

Bom pessoal, essa foi a primeira resenha do blog! Espero que gostem e logo postarei mais.

Beijos leitores!

Por: Maria Fernanda